Amanda Carneiro
2 min readMar 8, 2018
8 de Março

Ainda há quem questione porque existe um dia da mulher e não um dia do homem. Século XXI, 2018 e ainda aparece esse questionamento.

Século XXI e ainda precisamos de leis determinando que abusos sexuais, físicos e psicológicos contra mulheres geram punições. E ainda assim, X anos de cadeia não vão fazer com que aquela mulher esteja isenta do sofrimento causado, isso quando o indivíduo é condenado…

Já é 2018, as mulheres que queimaram sutiãs fizeram isso a 50 anos e ainda, nós como mulheres temos que pedir licença para os homens em certas áreas de trabalho, ainda temos que ouvir por muitas vezes que é obrigação da mulher cuidar dos filhos, da casa, do marido, ainda temos que escutar que a mulher, graças a Deus, foi criada de uma costela de Adão, pra estar do lado dele, mesmo que nós mulheres saibamos que não, a mulher deveria poder ser tão livre quando quisesse, ao lado de algum homem ou não. A mulher deveria poder ser forte e independente, mas aparentemente ela ainda é tratada como só é um pedaço tirado da costela de alguém…

Estamos sim no século XXI, mas ainda vivemos em uma sociedade com uma mentalidade que não condiz com isso. Estamos no século em que celulares controlam milhares de dispositivos a partir da palma da nossa mão, temos drones, sistemas integrados, brinquedos que contém mais tecnologia do que qualquer tecnologia disponível a 50 anos atrás e, ainda assim, temos que criar leis dizendo que é proibido fazer alguma coisa com uma mulher quando ela diz que não quer, ainda assim, nós como mulheres temos que provar que nossa capacidade, inteligência, força e que nossas vontades são válidas “mesmo sendo mulheres”, ainda assim, temos que explicar porque é importante ter mulheres atuando em todas as áreas profissionais com respeito.

Pleno 2018 e ainda temos que ouvir piadinhas e brincadeiras em um tom que “é só pra fazer graça”, “é só pra descontrair”, mas na verdade é só uma máscara bem ridícula para um machismo que está presente na nossa sociedade dês da hora de acordar até a hora de dormir. Ainda temos que ouvir que “não, isso não é machismo, você, mulher, que é fresca demais e não sabe levar na brincadeira”. É 2018 e ainda tem gente dizendo que lugar da mulher é lá não sei onde… É na cozinha? é em casa? é em tal área profissional? É. É sim. O lugar de mulher é mais especificamente ONDE ELA QUISER.

Então meus caros, dia 8 de março ainda é necessário, na verdade ele é muito mais necessário agora. Agora que tudo está evoluindo numa velocidade absurda, só o que não evolui é a mente pequena de quem ainda acha que mulher é menos, ou que mulher deveria ser ou fazer qualquer coisa diferente do que ela queira.

Amanda Carneiro

Engenheira de software, apaixonada por tecnologia. Amo arte, amo conhecer lugares novos e viver viajando é o que me motiva todos os dias.